O que é recall: conheça os casos mais polêmicos da história  

O Chevrolet Onix foi só mais um na lista de carros com recall. Ao longo do tempo, houve episódios bem emblemáticos que ficaram marcados. 

Neste post, explicamos o que é recall e listamos alguns dos principais casos de veículos que apresentaram problemas. Para conferir, é só continuar a leitura! 

Antes de tudo, o que é recall? 

Quando o proprietário recebe um recall quer dizer que o automóvel está com algum defeito de fábrica que pode interferir na sua dirigibilidade, na transferência do veículo, ou até mesmo colocar em risco a segurança do condutor e dos passageiros. 

Por isso, o chamado não deve ser ignorado. Por lei, o reparo deve ser feito gratuitamente, bastando apenas que o dono do carro o leve até a concessionária indicada. 

Como é feito o aviso do recall? 

O aviso é feito através dos seguintes meios:

  • Carteira Digital de Trânsito (CDT)
  • Sistema de Notificação Eletrônica (SNE)
  • Portal de Serviços do Governo Federal
  • Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) 

Além disso, as montadoras precisam — obrigatoriamente — comunicar a situação por meio de canais de comunicação, como rádio, TV, jornais, sites e redes sociais. 

Vale frisar que o recall está previsto no artigo 10 da Lei Federal 8.078/90 do CDC (Código de Defesa do Consumidor): 

“Artigo 10 – O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

  • 1º – O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários.
  • 2º – Os anúncios publicitários a que se refere o parágrafo anterior serão veiculados na imprensa, rádio e televisão, às expensas do fornecedor do produto ou serviço.
  • 3º – Sempre que tiverem conhecimento de periculosidade de produtos ou serviços à saúde ou segurança dos consumidores, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão informá-los a respeito.”

5 casos de recall que ficaram conhecidos

1. Chevrolet Onix: risco de incêndio

Vamos começar pelo acontecimento mais atual.

Logo depois do lançamento da segunda geração do Onix, casos de incêndio foram registrados. O primeiro ocorreu em setembro de 2019, ainda no pátio da fabricante de Gravitaí (RS). 

O problema se deu em decorrência de um defeito no software de gerenciamento do motor que causava pressão e aumento da temperatura na câmara de combustão. No total, 19.050 unidades do Onix Plus foram convocadas para recall. 

2. Chevrolet Corsa: defeito no cinto de segurança

Em 2000, o Corsa apresentou uma falha na fixação do cinto de segurança, o que resultou em mais de 25 rompimentos do equipamento de segurança em colisões. Duas dessas eventualidades terminaram em fatalidade. 

3. Volkswagen Fox: decepamento de dedos

Em 2008, alguns proprietários se manifestaram contra o Volkswagen Fox, após terem tido os dedos inteiros ou parcialmente decepados ao rebater o encosto do banco traseiro do veículo. 

Havia uma alça presa a uma argola que precisava ser puxada para que o banco pudesse destravar. Em todos os relatos, as pessoas tiveram os dedos presos nessa peça e ficaram feridas ou perderam parte dos membros. 

Por conta disso, a marca comunicou o recall para o Fox, CrossFox e SpaceFox, somando 511 mil veículos e uma multa de R$3 milhões

4. Fiat Stilo: soltura das rodas traseiras 

Ainda em 2008, começaram os relatos de acidentes envolvendo o Fiat Stilo pela soltura da roda traseira do veículo. Ao investigar a irregularidade, perceberam que o defeito era consequente da fadiga no cubo das rodas de trás que fazia com que elas se soltassem.

Das vítimas registradas, 8 foram fatais. 

5. Takata: airbags fatais 

Maior caso de recall da história, a fabricante japonesa Takata teve sua reputação completamente prejudicada por conta dos airbags com defeitos. 

O resultado disso foi mais de dezenas de mortes. Acredita-se que pelo menos 3,5 milhões de carros no país tenham saído de fábrica com esse problema. No total, mais de 58 milhões de veículos pelo mundo foram afetados por essa irregularidade. 

O erro era decorrente de uma falha no deflagrador de gás que, quando acionado em uma batida, lançava fragmentos metálicos contra as pessoas dentro do automóvel. 

Episódios como esses só reforçam o porquê o recall não deve ser negligenciado. Diante de todos esses acidentes, as fabricantes hoje em dia são ainda mais cautelosas quanto à produção de seus veículos, mas é preciso estar sempre atento e manter a regularidade do automóvel para evitar qualquer situação de risco. 

Aliás, na Autolist, você encontra a consulta Recall, a qual apresenta se o carro pesquisado já teve alguma convocação, a data de início da campanha, a montadora e a gravidade do problema. 

E então, gostou deste conteúdo? Para ler outros materiais como esse, acesse nosso blog semanalmente e siga a gente nas redes sociais. Até a próxima! 

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui embaixo! 

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?