O que você precisa saber sobre a busca e apreensão de veículo

Quando se fala em busca e apreensão de veículo significa que a negociação do automóvel foi feita por meio de um financiamento e que este está com o pagamento das parcelas atrasado.

Esse tipo de restrição é uma medida jurídica a qual os credores, como bancos, instituições financeiras e outros, usam para tomar o bem já que o pagamento não está em dia. Mas como saber se o veículo foi financiado? Quanto tempo leva para ocorrer a busca e apreensão? Como resolver a situação?

É exatamente sobre isso que vamos conversar no post de hoje! Continue a leitura para conferir e tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

Como funciona o processo de busca e apreensão de veículo?

Esta situação é bem comum: a pessoa financia o veículo e depois de um tempo não consegue mais arcar com o valor do parcelamento. Até aí tudo bem, infelizmente pode ocorrer. 

O problema maior começa a partir do momento em que ela não procura a instituição financeira para tentar renegociar a dívida e simplesmente deixa a responsabilidade de lado. 

É quando isso acontece que o cliente corre o risco de ter o veículo apreendido. Casos como esse classificam a restrição que chamamos de alienação fiduciária.

O comprador tem a posse direta do automóvel, mas não possui a propriedade. Ou seja, ele não poderá fazer a transferência do carro até que termine de quitá-lo completamente e, se houver falha no pagamento, a financeira tem o direito de tomá-lo de volta. 

Para determinar a busca e apreensão do veículo, basta uma única parcela em atraso. Isso dependerá da instituição. No entanto, o processo só deve vigorar depois que o credor enviar uma carta ao cliente, informando-o sobre as consequências do atraso. 

O consumidor tem a opção de pagar a dívida e se defender da ação. Mas, caso a situação não seja regularizada, a financeira poderá emitir um mandado de busca e, então, fazer a apreensão. 

Como saber se há registro de busca e apreensão e resolver o problema?

No âmbito de uma negociação, todas as informações referentes ao veículo e ao proprietário são essenciais. 

Para saber se houve um financiamento de fato, a consulta histórico de Gravames é ideal. Por meio dela, é possível ver detalhes do financiamento, a instituição com a qual ele foi feito, e se há restrição fiduciária baixada ou não. 

(Leia mais em: Para que serve a consulta de gravame e como fazê-la)

Se quiser aprofundar ainda mais sua pesquisa, vale a pena utilizar a Veículo Completo, uma consulta que reúne dados de outras consultas para trazer um panorama geral sobre o carro. Assim você fica ciente sobre as restrições e qualquer irregularidade que ele possa ter.

Agora, para resolver o problema, como dissemos, é necessário realizar o pagamento que ficou atrasado. Porém, existe um prazo para quitar a dívida. 

A pessoa tem 5 dias após o mandado de busca e apreensão para pagar a conta. Já o prazo para a defesa que mencionamos acima, é de até 15 dias. Mesmo que ela opte por fazer os dois, os prazos se mantêm os mesmos: pagamento, 5 dias e defesa, 15 dias. 

A dica, portanto, é sempre recorrer às consultas veiculares para entender o histórico do veículo e não ter surpresas desagradáveis. 

E então, esse conteúdo foi útil para você? Para conferir outras postagens como essa, é só ficar de olho em nosso blog e nos seguir nas redes sociais! 

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?