Carros de repasse: veja como trabalhar com eles!

Carros de repasse, como você sabe, são bastante comuns em grupos de vendas online de veículos e em lojas de revenda. Mas até que ponto é vantajoso trabalhar com essa modalidade de automóvel? 

Se essa dúvida também é sua, você está no lugar certo. Para o post de hoje, vamos explicar a diferença entre repasse e revenda, se vale a pena ou não vender carros nessas condições e, ainda, te dar algumas dicas de como trabalhar com eles! 

É só continuar a leitura para conferir!

Carros de repasse e revenda: qual a diferença? 

Essa questão pode parecer óbvia para alguns lojistas, mas, para outros, causa pequenas confusões em relação aos conceitos de repasse e revenda. Por isso, é válido esclarecermos os pontos. 

Embora ambos tratem de carros usados e/ou seminovos, a forma de lidar com eles é diferente. Quando uma loja de revenda compra um veículo usado, ela faz uma revisão completa, troca pneus, peças e acessórios que possam apresentar algum tipo de problema. 

Já os automóveis de repasse são literalmente “repassados” para frente. Ou seja, não é dada a mesma assistência, eles são vendidos no estado em que se encontram. É daí que surgem os preços abaixo do mercado e que despertam a atenção dos consumidores. 

Vale a pena trabalhar com carros de repasse? 

A resposta para essa pergunta é: depende! Depende da condição do veículo de repasse que você vai colocar à venda em sua loja. É preciso, antes de tomar qualquer decisão, analisar o retorno que esse bem pode trazer para seu negócio. 

E quando falamos em retorno, não estamos nos referindo somente a questões financeiras. Afinal de contas, a venda não termina simplesmente quando o dinheiro é recebido.

Apesar de haver controvérsia sobre a garantia para essa modalidade de venda, o artigo 18 do Código do Consumidor (CDC) diz que o vendedor é o responsável por problemas que aparecer em até 90 dias.

Para evitar dores de cabeça, os lojistas costumam anexar uma cláusula ao contrato que comunica o estado do automóvel e os isenta de qualquer obrigação. Entretanto, segundo o CDC, esta não é uma ação legal. 

Por todas essas razões, não é aconselhável comprar carros com danos graves, dê preferência para aqueles que estejam em melhores condições. Mas, de qualquer forma, verifique como está o funcionamento, se será preciso algum reparo, qual o nível desse reparo, faça uma consulta veicular e avalie o histórico do veículo, entre outros aspectos, para que você possa deixar o futuro comprador ciente de absolutamente tudo.

Quais os riscos em revender carros de repasse?

Veículos usados, em geral, têm maior chance de dar problema do que um carro zero ou seminovo com pouco tempo de uso, isso é fato. No entanto, os riscos do repasse acabam por se tornar responsabilidade do consumidor. 

É por isso que você deve informá-lo sobre a real situação do automóvel no momento da venda. Não esconda nada de seu cliente, do contrário, é muito provável que ele retorne à loja após qualquer incidente, por menor que seja.  

E então, esse conteúdo foi útil para você? Se quiser ler outras matérias relacionadas, é só ficar de olho em nosso blog e nos seguir nas redes sociais. Até a próxima!

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?