Conheça 8 fatores que influenciam a desvalorização de um carro

Publicado em 08/07/2020 / Atualizado em 28/08/2020

Zero, usado ou seminovo, todo veículo perde valor assim que sai da concessionária ou garagem. Essa desvalorização do carro é natural e inevitável, por mais que doa aceitar. No entanto, existem alguns fatores que podem influenciar esse processo. 

E é sobre isso que vamos falar na matéria de hoje! Se você é dono de garagem, se trabalha com automóveis ou se simplesmente tem interesse no assunto, continue a leitura para entender por que acontece a depreciação e confira 8 aspectos que podem acelerar essa baixa de valor!

Por que os carros perdem valor

A regra da desvalorização é clara, tem a ver com a lei da oferta e procura. Se um modelo apresenta bastante saída, consequentemente, será menos depreciado no mercado. O contrário ocorre com um novo ou seminovo que tem pouca demanda e passa mais tempo estocado em uma loja.

Importante enfatizarmos isso, pois há muita gente que pensa que a palavra desvalorização está somente (ou muito mais) relacionada a desgastes de uso ou do tempo. Mas não é bem assim. 

A perda de valor ocorre, além desses fatores de uso, pelo próprio mercado de veículos, com o lançamento de uma versão mais nova e moderna de determinado modelo, com a tecnologia implementada e afins. 

Assim que o automóvel sai da concessionária, o tempo já começa atuar. A partir da tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) é possível saber exatamente quanto o veículo está perdendo. Mas sobre este cálculo falaremos em uma próxima postagem. 

Embora não tenhamos como impedir a depreciação, existem alguns pontos que, se não forem considerados, podem acabar por agilizar essa realidade. 

Veja alguns dos fatores que contribuem com a depreciação de um veículo

1. Alta quilometragem

Quanto mais rodado estiver o automóvel, maior será o gasto de suas peças, é fato. Desse modo, o valor sofrerá redução considerável. Portanto, principalmente para seminovos, vale saber o histórico do veículo e de quem o conduzia.

É muito comum que carros que costumavam pegar solos com ondulações e terrenos difíceis, ou que pertenceram a alguma empresa, percam ainda mais no momento da avaliação. 

2. Cor da pintura

Inovar, personalizar, investir em cores e estilos modernos e diferenciados parece uma boa ideia de início, porém, na hora de passar o veículo para frente, é bem provável que ele perca pontos na tabela. Isso porque grande parte das pessoas ainda prefere tonalidades neutras, como prata, preto e branco.

A colagem de adesivos, técnica de envelopamento e outras customizações também são pontos observados em uma consulta veicular e podem atrapalhar e influir no preço na hora da venda. 

Vale destacar, ainda, que o índice de depreciação por conta da cor e modelo muda de estado para estado. Quer dizer que, no Paraná, determinado carro perde um valor x no ano e, em São Paulo, a mesma versão pode perder y. 

3. Manutenções em geral

Conforme o tempo vai passando e o automóvel sendo utilizado, é completamente normal que haja desgaste. Em consequência disso, as manutenções também se tornam mais necessárias e, dependendo da situação, mais frequentes. 

Reparos, troca de pneus e demais peças, problema de gasto exagerado de combustível, repintura e polimento para cobrir riscos… Todos estes são exemplos que refletem no preço. 

4. Leilão

Carros com passagem em leilão podem somar até 60% de depreciação, não importa a origem. Alguns, inclusive, não são nem aceitos pelas propostas de seguro das seguradoras.  

Para saber mais sobre o assunto, leia nosso post completo: Veículo com passagem em leilão, até onde vale a pena comprar um?.

5. Roubo e furto

Esse é classificado como um dos quesitos que causa maior desvalorização de carros. É dito que, no Brasil, 40% dos veículos roubados, em média, não são recuperados e são revendidos em outros estados ou países próximos. 

Nesse caso, é essencial procurar por uma consulta de histórico de roubo e furto para saber os antecedentes do automóvel. Do contrário, a pessoa que adquirir um carro nessas condições corre o risco de tê-lo apreendido ou não ser aceito por uma seguradora.  

6. Sinistro

Qualquer tipo de acidente que danifique a estrutura de um veículo, seja um simples risco em um para-choque, ou uma batida intensa, será registrado como sinistro e, em razão disso, sofrerá depreciação. O que classificará a porcentagem dessa perda será o tamanho do dano. 

7. Marca e montadora do automóvel

Outras características para ficar atento são a marca e montadora. Apesar de contarem com opções de alto padrão e luxo, os carros importados apresentam um índice de desvalorização maior se comparado com os nacionais. 

Essa diminuição de valor se dá, especialmente, pela dificuldade de conseguir peças para reposição e pela assistência técnica, que não é tão acessível. Além disso, os custos com seguro e IPVA são mais altos. 

8. Modelo

Assim como a marca, o modelo do carro também influencia na tabela de valores — e nem é preciso ser importado. Em 2019, por exemplo, opções como Fiat Toro, Strada, Ford Focus, Ford Ka Sedan apareceram entre as primeiras na lista de depreciação. 

Independentemente de qual seja a sua posição, garagista ou consumidor, é importante levar esses tópicos em conta. Assim ninguém sai perdendo e você faz uma venda ou uma compra segura!

E aí, o que achou deste artigo? Para ler outras matérias com conteúdos relacionados, é só ficar ligado no blog da AutoList. Toda semana temos uma nova postagem! 

Aproveite para deixar um comentário. Compartilhe suas dúvidas e ideias com a gente, será um prazer te responder!

Notícias relacionadas
Número do chassi do veículo: por que e como consultar?
Você sabe para que serve o número do chassi do veículo? O que ele significa de fato e como consultá-lo? A gente te explica agora mesmo!
O mercado de carros seminovos durante a pandemia do coronavírus
A chegada do coronavírus mudou o mercado, de maneira geral, e o hábito de consumo das pessoas. Saiba agora como anda o mercado de carros seminovos durante a pandemia!
Carros de repasse: veja como trabalhar com eles!
Carros de repasse sempre deixam dúvidas para os revendedores de veículos. Será que vale a pena trabalhar com eles? Saiba mais agora mesmo!
Veículo com alta quilometragem, vale a pena investir?
A busca pelos usados e seminovos tem aumentado bastante nos últimos tempos. Isso porque é possível encontrar carros bons e bem conservados por um valor mais acessível. Mas será que vale a pena adquirir um veículo com alta quilometragem? Confira a seguir!
Sem lacre de placa, como evitar o roubo da nova placa Mercosul
Fique por dentro de tudo sobre a nova placa Mercosul! Saiba agora o que mudou em relação a anterior, quando ela deve ser substituída e como evitar roubo!
Responsabilidades na revenda de veículos, o que você precisa saber
Uma venda não termina quando o cliente faz o pagamento. Saiba quais as responsabilidades na revenda de veículos que você precisa ter!
Como dar baixa no desmanche de veículo: saiba mais!
Saiba como dar baixa no desmanche de veículo, quais documentos são necessários e quanto tempo demora para finalizar o processo! Acesse agora e confira!
Veículo com passagem por leilão, até onde vale a pena comprar um?
Você sabia que um veículo com passagem por leilão tem grande desvalorização no mercado? Grande parte, 20% em relação a tabela FIPE.
O que é e como funciona a dupla transferência de veículo
Saiba agora mesmo o que é a dupla transferência de veículo e entenda como funciona o processo!
Entenda qual a melhor época para comprar e vender carros seminovos
Quer saber qual é a melhor época do ano para comprar e vender carros seminovos? Acesse agora para conferir!

#AutoDicas

Como saber se o veículo tem passagem por leilão e sua gravidade?
A consulta Leilão Prime traz informação de 7 banco de dados diferentes, os quais englobam desde passagens por leilões registros de locadoras e mercado securitário. Além disso a consulta verifica a classificação do veículo.
Confira a consulta ideal
Existe alguma forma de saber se o veículo foi sinistrado?
Sim. Através da consulta Acidentes e Procedência, terá o apontamento da existência, ou não, do acionamento do sinistro.
Confira a consulta ideal
Por que saber se um veículo tem passagem por Roubo e Furto?
O veículo com passagem por Roubo e Furto sofre grande desvalorização, podendo chegar até 30% de sua tabela FIPE.
Confira a consulta ideal
Como faço para saber se o veículo é assegurável independentemente do condutor?
Através da consulta Radar Securitário você recebe uma avaliação com mais de 15 seguradoras a respeito da aceitação do seguro, preço médio e aceitação da FIPE.
Confira a consulta ideal
Consigo verificar as restrições do veículo sem o RENAVAM?
Em nossa consulta de Débitos você identifica todos os tipos de restrições, tais como alienação fiduciária (financiamento), RENAJUD, dados cadastrais estaduais e muito mais.
Confira a consulta ideal
Posso ter problemas de transferência do veículo por conta do proprietário anterior?
Sim, pois caso o proprietário atual do veículo esteja envolvido em algum processo, você terá chances de ter problemas na transferência. Através da consulta RENAJUD, você verifica a existência e número do processo.
Confira a consulta ideal