Seguro auto recusado: por que isso acontece? Quais os motivos?

Já teve um seguro auto recusado e não entendeu o porquê? Pois fique sabendo que isso acontece mais do que imaginamos, e existem razões específicas para a contratação do serviço ser negada pela empresa. 

Por isso, no post de hoje vamos explicar os motivos pelos quais pode ocorrer a recusa de uma proposta de seguro. Para conferir, é só continuar a leitura! 

A seguradora pode recusar a proposta? 

O objetivo do seguro, como sabemos, nada mais é do que proteger o veículo contra possíveis acidentes. Porém, sim, a seguradora pode recusar. E isso muitas vezes se dá por ela entender que determinado automóvel já está passível de tantos riscos que não compensa assegurá-lo. 

A empresa possui um prazo de 15 dias para dar uma resposta de sim ou não ao consumidor. Passado esse período, e se não entrar em contato com a pessoa, ela perde o direito de recusá-lo. 

Outro ponto a ser ressaltado é que, ao negar, a prestadora do serviço precisa enviar um documento oficial que descreva todos os motivos do veículo não ter sido aceito. 

Entenda as principais causas de um seguro auto recusado 

Alguns fatores podem fazer com que a proposta de seguro seja recusada. Entre os principais, estão os seguintes: 

  • Veículos irregulares e/ou com pendências no Detran: se a documentação do carro não estiver em dia (IPVA, CRLV, DPVAT), ou se houver alguma irregularidade com o emplacamento, débitos ou multas pendentes, a empresa pode negar a proposta. 
  • Automóvel modificado ou em condições duvidosas: as seguradoras também costumam vetar o seguro para veículos que tiveram sua estrutura modificada; peças substituídas por outras de menor qualidade; que tenham restrições e carros recuperados ou sinistrados. 
  • Carros reprovados na vistoria: para ser aceito, o veículo passa por uma vistoria, na qual é constatada se ele realmente está ou não em bom estado. 
  • Tipo e ano do veículo: automóveis importados ou de valor muito alto geralmente não são interessantes para as seguradoras. O mesmo vale para carros muito antigos ou que já estejam fora de linha. 
  • Perfil do condutor: além do veículo, o perfil do condutor também é analisado. A empresa irá avaliar os diferentes riscos que o motorista pode oferecer, seja em relação ao pagamento da apólice ou com os próprios danos que pode causar ao carro. Isso cria uma espécie de balança em que é verificado se vale a pena ou não assegurá-lo. 

Você acabou de conferir as principais situações que podem resultar na recusa do seguro auto. Para ler outras matérias com temas relacionados, conferir diversas dicas e soluções veiculares, é só continuar acompanhando nosso blog e nossas redes sociais!

Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário aqui embaixo que responderemos em seguida!

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?