Veículo clonado: como funciona? O que fazer nessa situação?

Segundo o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), um veículo clonado é um carro que teve sua placa duplicada, podendo apresentar ou não características semelhantes ao original, como cor, modelo, marca e afins. 

Por mais inacreditável que pareça, esse golpe tem se mostrado cada vez mais frequente. A clonagem normalmente acontece para disfarçar os problemas de um veículo irregular. Ou seja, ele “se esconde” em um automóvel que está com tudo regularizado e dentro da lei. 

Para entender melhor sobre o assunto e saber como identificar uma dublagem e o que fazer em uma situação como essa, é só continuar a leitura deste conteúdo que explicaremos tudo sobre veículo dublê, como também é chamado.  

Veículo clonado, como funciona?

Diversos motivos podem estar por trás da duplicação de um automóvel, os principais deles, como falamos, são para criar um disfarce para um carro que não esteja dentro dos conformes e burlar a fiscalização de trânsito e também para facilitar a venda de veículos roubados

E aí é que estão os problemas, pois pode demorar um pouco até que o proprietário do automóvel original descubra a clonagem ou a pessoa que comprou um carro dublê. 

Isso porque os fraudadores já possuem técnicas para adulterar as numerações sem deixar suspeitas. Além disso, há casos em que os criminosos desviam ou roubam o documento em branco do Detran para preencherem. 

Como descobrir se o veículo foi clonado e o que fazer?

Como a fraude geralmente acontece em um estado diferente, o maior indício de que o carro foi dublado é o surgimento de multas ou perda de pontos na carteira do proprietário do veículo original. Por isso, fique atento se receber alguma notificação. 

“Ok. Mas o que fazer se o meu veículo for clonado?”

Essa é a grande dúvida de quem passa por isso. Afinal, é algo que ninguém espera. Vamos supor, então, que você adquiriu um carro usado há pouco tempo e descobriu que se trata de uma clonagem. 

Em primeiro lugar, vale a pena consultar o histórico do automóvel para verificar se há algum registro de roubo ou furto, passagem por leilão ou qualquer outra restrição. 

Depois disso, recomenda-se reunir toda a documentação da venda e, junto a um advogado, abrir um boletim de ocorrência e comunicar o acontecido ao Detran do seu estado para que ele possa te direcionar no que fazer a partir daí.

Todos os documentos e comprovantes da negociação devem ser entregues aos órgãos responsáveis para provar que você não tinha conhecimento sobre o ocorrido. É um processo um tanto desagradável, que pode causar bastante dor de cabeça. 

É por essa e outras razões que sempre enfatizamos a importância da consulta veicular. Através dela, você consegue visualizar todo o histórico do veículo, os dados sobre o antigo dono e qualquer irregularidade. 

E então, o que achou deste conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Nos deixe um comentário. E se quiser ler outras matérias com temas relacionados, é só acompanhar nosso blog semanalmente e nos seguir nas redes sociais!

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?