Seguro auto: os carros da sua garagem são aceitos por algum?

Você, garagista, revendedor de seminovos e usados, já teve algum prejuízo por carros que não foram aceitos por um seguro auto? Já recebeu reclamações de clientes insatisfeitos após a compra? 

Por mais incomum que pareça, muitas lojas de veículos têm problemas por não saberem se seus automóveis atendem aos requisitos necessários para serem aceitos por uma seguradora. 

O seguro auto, como o próprio nome diz, é um recurso para assegurar o carro e o proprietário caso algum dano ou acidente mais grave aconteça. Muitas pessoas, assim que realizam a compra, pensam na cotação do seguro. 

É por essas e outras razões que é tão importante saber se os veículos que você disponibiliza em sua garagem são aceitos por alguma seguradora. No post de hoje, vamos falar um pouco mais sobre a essencialidade do seguro e listar os principais fatores que podem causar a recusa por parte de algumas empresas. 

E então, ficou interessado pelo conteúdo? É só continuar por aqui com a gente!

Por que você deve falar sobre o seguro auto com seus clientes

O cliente foi até sua loja, gostou de um dos modelos de carros e decidiu comprar. A documentação, forma de pagamento e contrato ficaram acertados, você vendeu e pronto. Sua responsabilidade acaba e você não tem mais nada a ver com isso, certo? Não! Não é bem assim que funciona. 

Você mais do que ninguém sabe que, ao primeiro problema que surgir, o consumidor retornará para ter uma conversa. E nem sempre esse bate-papo é agradável. Portanto, para evitar situações embaraçosas, fale com o seu cliente sobre o seguro auto

Além disso, certifique-se de que os veículos que você oferta podem ser aceitos por seguradoras. E quando não, deixe bem claro para a pessoa sobre as reais condições do automóvel. A escolha em adquirir um bem que pode ou não ser recusado por um seguro deve ser dela. 

Imagine que um de seus carros tenham sido recuperados e nenhuma seguradora o aceite. O cliente demonstra interesse por ele, resolve negociar e somente depois da venda fechada é que ele descobre que não será possível contratar o serviço, pois o automóvel está depreciado, segundo a empresa. Que situação, não? 

A dica é simples: converse franca e abertamente com o comprador, realize uma venda segura e de confiança para não causar dores de cabeça para ambas os lados.

3 fatores que podem interferir na contratação de um seguro auto

Alguns fatores podem explicar o porquê de uma empresa de seguros recusar determinado veículo. Dentre eles, os principais são:  

Carros muito antigos ou que estejam fora de linha 

Esse é um dos mais comuns. Muitas seguradoras se recusam a fazer o seguro por acreditarem que será difícil encontrar peças compatíveis se for preciso algum conserto. 

Veículos com irregularidades 

Quando falamos irregularidades, estamos nos referindo não só a estrutura, mas também a documentação do veículo, multas em aberto, problema com emplacamento e, em alguns casos, até mesmo com chassi adulterado. 

Carros reprovados pela vistoria 

A seguradora solicita uma vistoria para verificar as reais condições do automóvel. Carros com passagem por leilão, com registro de sinistro ou recuperados são avaliados cautelosamente nesse momento. Além disso, a substituição de peças também pode influenciar na decisão da empresa. 

Para saber mais sobre a vistoria, leia nosso conteúdo completo: Tipos de vistoria automotiva: veja os principais e o que eles avaliam.

Viu só por que é importante conversar com o seu cliente? Para evitar complicações, se antecipe! Faça consultas veiculares e verifique se os carros que você vende possuem algo que possa acarretar a recusa de um seguro. 

E então, o que achou desse conteúdo? Se quiser conferir outras matérias como essa, é só ficar ligado no blog da Autolist e nos seguir nas redes sociais. Toda semana temos uma nova publicação! 

Se tiver qualquer dúvida, basta nos deixar um comentário que responderemos o mais breve possível!

POSTS RELACIONADOS

Olá, posso ajudar?